Ontem foi o último dia do mandato presidencial de Donald Trump e, como tal, eram esperados os habituais perdões. Já se sabia que 45º Presidente dos Estados Unidos usaria o seu estatuto para atribuir clemência aos seus aliados políticos. As grandes surpresas nessa lista foram mesmo dois nomes ligados ao Hip-Hop: Lil Wayne e Kodak Black.

Em novembro, Lil Wayne tinha-se declarado culpado na acusação federal por posse de arma de fogo ainda em dezembro de 2019. O julgamento seria dia 28 de janeiro e poderia apanhar uma pena até 10 anos de prisão por ter antecedentes criminais e ser reincidente nesse mesmo crime.

Kodak Black está a cumprir pena desde 2019 por duas acusações de falsificação de informação nos formulários federais para compra legal de armas em Miami. A sua sentença, a ser cumprida, só acabaria em novembro de 2022.

A Lil Wayne foi atribuído um perdão total e não irá a julgamento. De recordar que o rapper anunciou publicamente o seu apoio a Donald Trump nas últimas eleições presidenciais, que acabaria por perder. A Kodak foi atribuído uma comutação e poderá ter a sua pena reduzida.

Se esta notícia pode ter deixado os dois artistas e os seus fãs felizes, a saída de Trump do poder com certeza não deixará muitas saudades no geral aos amantes de Hip-Hop. De não esquecer que a maior dedicatória que o género musical lhe fez foi este hino de YG e o falecido Nipsey Hussle: