Ainda não é o álbum, mas já deu para saciar a sede aos seus fãs. Scary Hours 2 é o novo pacote de singles do Drake. Em 2018, quando lançou Scary Hours, ficámos na dúvida se o álbum que se seguiria, Scorpion, seria mais como God’s Plan, com sonoridade rádio e fun, ou como Diplomatic Immunity, muito rap e citações para o Instagram. A segunda faixa não entrou no álbum, que acabou uma grande compilação de hits.

Estas três músicas cumprem exatamente as expectativas de todos os fãs do canadiano. Em What’s Next temos o refrão fácil de decorar que provavelmente fará sucesso no tiktok. Fala a partir do estatuto que alcançou e pergunta “o que se segue?”. Essa é a pergunta que todos fazemos na antecipação do seu décimo projeto. O que devemos esperar de alguém que está no topo da sua carreira há seis anos? Será normal que fãs questionem se o artista ainda terá nele um álbum como Nothing Was The Same ou se se desafiará noutras sonoridades.

Em Wants and Needs, faz um egotrip que se espera dele: não está em competição com ninguém, porque ninguém está na sua liga. Lil Baby junta-se a ele a mostrar a qualidade que o tem colocado como um melhores.

Rick Ross tornou-se num mogul dos restaurantes de chicken wings na Flórida, graças à combinação de limão e pimenta. É de combinações perfeitas que se faz o sucesso. Drake e Rick Ross na mesma faixa é sinónimo disso e é o que acontece em Lemon Pepper Freestyle. Em cima de um instrumental com um sample de Pressure, dos Quadron, deslizam os dois suavemente a falar sobre as vidas de luxo que levam.

É com estas três músicas que vamos ter de aguentar até que saia o Certified Lover Boy. As músicas estão disponíveis nas plataformas digitais e What’s Next saiu com um videoclip em que quase faz uma tour pela cidade de Toronto.