Depois de em Abril ter lançado o single “Preguiçoso”, o rapper luso-angolano Wine TKK regressa com “Renascido das Cinzas”, um trabalho onde conta com as participações de SP Deville e Topiick. Segundo a London Boyz, produtora musical responsável por este trabalho, “O EP tem o nome de Renascido das Cinzas com intuito de mostrar o nascimento do novo Wine TKK. A morte do velho Wine TKK das batalhas de rap que conquistou e influenciou a atitude de muitos como encaram as batalhas com o seu estilo destemido. Como a lenda de fénix relata autodestruição da mesma para renascimento de uma nova com parte das cinzas da velha.”

Assim, com este trabalho, Wine TKK procura assumir-se de vez no panorama do hip hop nacional, olhando também para os horizontes internacionais com foco e dedicação redobrados.

O tema que dá nome ao EP conta também com videoclip realizado pela
London Boyz Entertainment e produzido e editado pela 250 The North Side Records.

Estivemos a conversa com Wine sobre o Ep e o seu futuro.

HHSE: O que significa este EP para ti? Podemos ouvir um Wine diferente daquilo que conhecíamos?

WINE: Esse EP para mim significa muito. Desde a nova fase que estou a viver na música (Hip-Hop/Rap), vindo das batalhas e mais focado na música agora. O Wine continua a ser o mesmo só que como tudo na vida existem fases e neste momento estou numa fase renascida como diz o nome do EP, pois as experiências do passado estão neste Wine de agora, mais maduro.

HHSE: “Renascido das Cinzas” é o nome deste projeto. É um novo recomeço para ti no rap?


WINE: Sim é um novo recomeço. Como disse há pouco tempo o velho encontra-se no novo, evoluído, mais maduro e mais focado que nunca no rap.

HHSE: Como foi o processo criativo do EP? E o que te influenciou durante o processo de criação?


WINE: O processo de criação do EP surgiu de uma forma natural, pois quando assinei com a London Boyz Entertainment já tínhamos o objetivo de lançar um projeto. Mas como para tudo há um processo, estivemos focados nos singles onde mostraria um “novo” Wine. Desde “Boa Vibe”, “RS” e “Não Me Canses A Beleza”, a equipa foi trabalhando e preparando o público. Na criação do EP as ideias foram surgindo nas minhas late night sessions no estúdio e fui falando sempre com a label sobre o que pretendia oferecer aos fãs. A partir daí foi selecionar as faixas que casavam perfeitamente. As minhas inspirações foram o meu passado, tudo que passei na vida, experiências e momentos, juntando também as conversas com a label sobre o futuro e querermos chegar ao mercado português e lá fora. Foi uma sopa de ambições e vivências.

HHSE: Tens participações de SP Deville e Topiick. Como surgiram estas colaborações?


WINE: As colaborações surgiram de forma natural, nada forçado. A do SP Deville, a quem eu que mando um shout out por apoiar o projeto sendo quem ele é no hip hop da lusofonia, surgiu naturalmente. Tinha a faixa pronta e falando com a equipa sentíamos que faltava algo para dar mais intensidade à mesma. E tendo já uma ligação com o SP dos singles anteriores, falou-se com ele. Ele ouviu, curtiu e disse que iria fazer a cena e nem preciso de falar na entrega, vocês ouviram no que deu. Já o Topiick é o meu puto. Vi que tem algo para dar à música então puxei-o para trabalharmos juntos mas no futuro irão perceber melhor.

HHSE: Qual é a faixa que mais gostas ou é mais especial para ti neste EP?


WINE: Txiii! Agora fica complicado porque eu no geral gosto de todas, porque cada uma é pessoal. Esse EP é uma espécie de viagem. Eu aconselho todos a ouvir com calma, desde o primeiro som até ao último.

HHSE: No futuro o que podemos esperar do Wine? Faixas soltas ou um projeto mais sólido, como por exemplo um álbum?


WINE: No futuro podem esperar um Wine cada vez mais focado e ativo no rap, como digo na  faixa “Gradução”, na última linha: “ano passado foi lazy, este ano vai ser crazy”. Estamos a preparar as coisas para começar a rodar mais shows, etc. Podem esperar mais singles e possivelmente mais um projeto, que será a minha mixtape. Em termos de projeto sólido temos aqui o EP, que, para mim, pessoalmente, é um trabalho muito bom e bastante sólido. Em termos de álbum no momento certo irá chegar!